Este é um post de opinião pessoal. Pessoal, vocés outros ex-alunos também tém total direito de escrever aqui. Cada dia temos mais leitores, inclusive não alunos. Estive em Porto Alegre e acabo de chegar do Rio de Janeiro. Como vocés sabem, esta semana estamos visitando 20 das 60 maiores empresas do Brasil, com o intuito de conhecer melhor seus departamentos de RH e oferecer as soluções do IE de cursos in-company e placement para nossos ex-alunos. Tenho sinceramente me surpreendido com a falta de preparo destas empresas para atuar no mundo globalizado. Á? impressionante!!! Me dá pena, me dá repulsa, dá até vergonha de ser brasileiro.
Setenta por certo das empresas visitadas até o momento simplesmente ainda não tiveram tempo de olhar para fora do Brasil! PÁ´! Em que mundo este pessoal vive? Onde acham que vamos parar pensando assim? Alguns diretores de RH chegaram a dizer: “já temos muito trabalho com o Brasil”, “O Brasil é muito grande”. Quando vocé comenta que outras empresas estão entrando alguns ainda comentam: “Aqui tem mercado pra todo mundo”. Um bando de irresponsáveis os administradores de várias das maiores empresas brasileiras! Todo mundo satisfeito com sua migalha no fim do més. Estou chegando Á  conclusão de que somos um dos campeões mundiais em empreendedorismo por causa da classe baixa e da classe média que batalham para se virar.
As pessoas deste país pensam muito pequeno. Estive no ano passado com o presidente de um dos maiores bancos privados do Brasil. Lhe fiz uma pergunta fácil e direta: “Tém vários bancos estrangeiros entrando no Brasil, vocés não pensam em se internacionalizar?” O mané (desculpem-me a expressão) disse que já tinham trabalho suficiente no Brasil e que não podiam despender enforços para entrar em mercados estranhos. Pensando assim, acho que este banco não chegará muito longe. Algum dia um belo HSBC ou um Santander da vida compram esta porcaria de banco brasileiro que só olha pro seu próprio umbigo.
Quando fiz o MBA em Madri, ao saber que uma famosa rede de fast-food nacional queria se expandir por Portugal e Espanha entrei imediatamente em contato para saber como eu poderia ajudar. Tinha capital para abrir uma loja, poderia encontrar um bom ponto, conhecia o mercado espanhol, tinha contatos locais. A empresa, que levou 3 meses para me responder, disse que já tinha tudo sobre controle e não precisava de ajuda nenhuma. Hoje vocé vé a merda que eles fizeram na Espanha e fala: “quanta incompeténcia, estão conseguindo estragar uma marca boa”.
A entrada do Guaraná da Ambev na Espanha também foi deplorável. Acompanhei tudo relativamente de perto. Desculpe-me o profissional que cuidou do processo, mas se nota que esta pessoa nunca nem chegou perto de uma sala de aula de primeiro nível. Logo a Ambev que respeito tanto administrativamente.
Enfim, queria desabafar sobre este assunto. Tenho visto muitos outros “cases” que provam o quanto ainda somos fechados para o mundo e fracos ao lidar com outros mercados. Tenho visto estrangeiros querendo levar marcas brasileiras pra fora e as empresas aqui se fazendo de difícil. As empresas aqui não viajam, são preguiçosas. Acham que abrir um escritório de representação no México ou em Bruxelas é para empresa milionária. Administradores brasileiros, abram suas cabeças! Mandem seus funcionários pra fora, contratem estrangeiros! O mundo não vai ficar esperando a gente acordar, vai simplesmente nos atropelar.
Newton Campos
International MBA 2001

Deja un comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

clear formSubmit