Petrobras não descarta Repsol
O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, não descartou a possibilidade de que a empresa esteja interessada em comprar a petrolífera espanhola Repsol. Durante entrevista coletiva em Londres, onde esteve por causa da visita oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gabrielli foi questionado por um jornalista britânico sobre o suposto interesse da estatal em adquirir a Repsol, com a qual já mantém parcerias. Não negou nem confirmou -mas não conteve os risos diante da pergunta, mesma atitude dos outros diretores da Petrobras presentes. Ao final da entrevista, indagado novamente sobre o interesse, mas agora só diante de jornalistas brasileiros, afirmou: “Pergunte aí à imprensa européia, que foi quem perguntou. Eu não sei, não. Não confirmei nem afirmei nada”. O que Gabrielli afirmou, aí sem nenhum rodeio, foi a saúde financeira da Petrobras. A petrolífera teve lucro líquido recorde de US$ 10,1 bilhões (R$ 23,7 bilhões) em 2005, o maior dentre empresas de capital aberto da América Latina. Nos cálculos de Gabrielli, se o preço do barril de petróleo no mercado internacional mantiver uma média de US$ 25, até 2010 esse valor pode atingir US$ 57 bi. O executivo lembrou que os investimentos da Petrobras em 2006 serão de pelo menos US$ 18 bilhões (R$ 38 bilhões), 48% a mais do que o total investido em 2005, e citou o novo recorde de produção registrado em fevereiro (1,758 milhão de barris por dia). Outros dados robustos rechearam a exposição do presidente da Petrobras. Como o de que o volume de ações negociadas da estatal na bolsa de Nova York em fevereiro foi o maior entre petrolíferas estrangeiras, ultrapassando gigantes como a British Petroleum. Ou a confirmação de que a empresa lançará ações bolsa Argentina. Segundo ele, a Petrobras já tem participação no mercado argentino, por meio da Petrobras Energia. “O que estamos fazendo é oferecer a opção para o argentino que quiser investir também na Petrobras Brasil. Você aumenta a possibilidade de investimentos e a liquidez das negociações internacionais. Não tem nenhuma ação nova, a novidade é que o investidor na bolsa argentina poderá negociar as ações brasileiras”, esclareceu Gabrielli. O programa de expansão da Petrobras, informou, inclui a disputa por licenças de exploração de petróleo e gás natural em países como Egito, Turquia, Ucrânia, Tanzânia e Moçambique. Quanto ao programa brasileiro de biodiesel, ressaltou que, embora com grande potencial de crescimento, registra uma produção ainda incipiente.
Fonte: Folha de São Paulo.

Deja un comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

clear formSubmit