Bancos pedem inclusão de Brasil, China, Ándia e Rússia
Gazeta Mercantil 15 de Setembro de 2005
O Instituto de Finanças Internacionais (IIF), que reúne os principais bancos do mundo, pediu ontem a inclusão de Brasil, China, Ándia e Rússia no Grupo dos Sete (G-7). O G-7 é formado pelos sete países mais industrializados, no entanto, sua efetividade tem sido criticada devido Á  auséncia de países como a China, que tém grande influéncia em tudo que é fabricado e vendido no planeta.
O diretor-gerente do IIF, Charles Dallara, propÁ´s em carta ao Fundo Monetário Internacional (FMI) a criação do G-11. “Este novo fórum, que reflete uma era de globalização e a importância crescente dos mercados emergentes, pode e deve oferecer tanto o marco como o ímpeto para a elaboração de políticas visando a garantir o crescimento econÁ´mico mundial com estabilidade de preços”, disse Dallara na carta.
Os atuais membros do G-7, criado em 1976, são EUA, Canadá, Japão, França, Reino Unido, Alemanha e Itália. A Rússia participa de reuniões do grupo, formando o G-8. Em reuniões recentes, o G-7 tem convidado outros países. Por exemplo, em sua reunião de junho em Gleneagles, no Reino Unido, estiveram presentes Brasil, México, Ándia, China e África do Sul.
Cautela com emergentes
Dallara enviou sua carta ao Comité Monetário e Financeiro Internacional, uma espécie de órgão executivo da assembléia de membros do FMI, que terá a reunião anual dias 24 e 25 de setembro. Nela, pede cautela aos investidores, quanto aos mercados emergentes, em um momento de uma grande liquidez mundial. “Os investidores devem levar em conta os riscos das economias dos mercados emergentes se o ajuste dos desequilíbrios mundiais não for tranqÁ¼ilo”, alertou Dallara.

Comments are closed.